quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Nova médica, nova consulta

Antes de andar nas medicinas alternativas, fui então ao Santa Maria para onde a médica que me tinha operado me tinha encaminhado. Fui para a parte de cirurgia maxilo-facial e reparei logo que aquilo funcionava para lá de mal. Vamos supor que tinha consulta às oito, sabia de antemão que só seria atendida daí a três ou quatro horas. Mas isso são contas de outro rosário.

Calhou-me a dra Anabela Ferreira, já com muitos anos de experiência e de vida, que achei uma verdadeira simpatia e que não fez uma cara de terror e de pena quando eu lhe contei o que me tinha acontecido, muito pelo contrário. Tranquilizou-me imenso. Disse-me que tendo em conta os exames que eu tinha feito e tendo em conta que eu não tinha metástases (levava-lhe uma batelada de exames que comprovavam isso) era possível que a coisa fosse tratável. Mas, há sempre um mas, eu teria de ser operada novamente com a maior brevidade possível e, consoante o resultado dessa cirurgia, faria ou não radioterapia preventiva.

Tendo em conta que eu tinha sido operada há cerca de um mês e que ainda tinha bem presentes as mazelas físicas e psicológicas dessa cirurgia a notícia não foi fácil de digerir. Mas a médica com toda a sua humanidade deixou-me tranquila. E aqui tive a prova de que a maneira como nos são dadas determinadas notícias influencia e muito a maneira como lidamos com elas. Só o nome da cirurgia é que me deixou para lá de incomodada e amedrontada, chamava-se esvaziamento cervical seletivo.

5 comentários:

cabranazi disse...

E ainda querem acabar com SNS! Já pensaste no dinheiro que terias de gastar se fosses operada num particular?? Vão mas é encher-se de moscas! Eles... não tu obviamente ;)

Anónimo disse...

Kitty, porque gosto muito de si, não posso deixá-la continuar a escrever incorrectamente metástase(s). É assim mesmo: metástAse(s).

Ana

Mrs Fane disse...

Ana,obrigada pela correção. :)

Y2000k disse...

Oi

Muitos parabéns por este novo blogue.

Disseste no outro post que não gostas de filmes relacionados com o cancro, mas, não sei se já conheces, não podia deixar de te aconselhar a veres a serie Breaking Bad. Além de incrivelmente bem escrita, tem também grandes performances dos actores.

http://youtu.be/HhesaQXLuRY

Matilde disse...

Fiquei um com uma lágrima no canto do olho e um nó na garganta ao ler isto. Há cerca de dois anos o meu padrasto teve cancro, ele é o pai que eu nunca tive (o meu pai biológico sempre foi ausente), na altura custou-me imenso e a minha forma de reagir foi ficar apática a tudo. Parecia que tinha uma pedra no lugar do coração, o medo de o perder era imenso. O cancro é um assunto complicado, é um bicho papão! Fico sempre com um nó na garganta quando sei que alguém tem ou teve cancro, não sei o sofrimento pelo qual o doente passa mas sei que perfeitamente o que dói para quem está de for ao aperceber-se de perder alguém para uma doença tão estúpida. E força! ;)